segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Samuel a bordo!

Gente a história de hoje é incrível e são por relatos como esse que eu acredito de verdade na ideia desse blog. Nos primeiros dias fiquei super empolgada com os acessos e os comentários por aqui mas confesso que com o passar do tempo, a falta de comentários e acessos acabei me desempolgando um pouco. Porque afinal um blog se faz de seus leitores mas ao mesmo tempo tantas mulheres vem me dizer (por email, pelo face ou pessoalmente mesmo) que se reconhecem nas histórias mencionadas aqui que eu decidi continuar me empenhando e buscando histórias de mamães pra compartilhar com vocês!!

Enfim...a Fernanda me mandou um email no primeiro dia que o blog foi ao ar e o texto dizia o seguinte:

“Oi, Jú!!!
Achei incrível!!! Já virou um favorito! Queria dar uma sugestão de entrevista... O que fazer quando o bebê da sua vida, e a carreira da sua vida nos partem o coração? Ser mãe me realiza a cada minuto, me enche de amor, mas não ser mais piloto, meio que parte meu coração... Isso passa? Ever? Eu sei que não da para pensar duas vezes, estou arrebatada de amor, mas não queria que tivesse essa lagriminha lá no fundo...Certamente mais alguém passa por isso... E isso passa algum dia?
Beijo e mais uma vez, parabéns!!!”

Achei a história da Fernanda e quis saber mais. Ela mandou mais um email contando por cima e eu pedi pra ela mandar a história completa.

Com vocês a história da nossa querida leitora Fernanda Madeira!!

“Bom, para começar, meu nome é Fernanda, e eu, além de mamãe muito orgulhosa do Samuel, sou Oficial da Marinha Mercante - Náutica!Quer dizer: Aquela pessoinha que "dirige" os navios para lá e para cá! Bom, mas você pediu um começo, não? E este nãããão o é! Para começar bem começadinho eu tenho que dizer que eu NUNCA, mas NUNCA MESMO, quis ter filhos. Ou casar. Ou qualquer outra coisa do tipo. Eu queria mesmo, de verdade, era crescer, trabalhar, viajar muito, ter uma apartamentinho pequeno e cheio de livros, asim, paredes inteiras forradas deles, e um cachorro! O cachorro era parte fundamental! Pois é... Já dá para rir, não? Mas... com milhões de idas e vindas... Fui fazer vestibular! História! Geografia! Produção editorial! Veterinária! E uma tal de EFOMM, que eu nunca tinha ouvido falar em toda a minha vidinha!!! Mas era um favor, para a filha de uma amiga da minha mãe. Para quem já faz tanta prova, que diferença uma a mais vai fazer? Então... Eu passei e ela não! Ironia do destino! E fui, só de curiosidade, já que os meus resultados só sairiam mais de um mês depois... Poderia sempre sair de lá, quando passasse em mais alguma coisa e ir, não? Muito bem... Fui!

Faculdade interna, entrada Seg as 0600 e saída Sexta as 1600, fardamento, alojamento, amigas novas, cidade nova, aulas novas. Tudo indo muito bem, mas peraí! Tô aqui para fazer o que mesmo? Ah, boooom. É pra ser piloto de navio! E eu nunca tinha imaginado! Na minha cidade (Teresópolis, diga-se de passagem) mal tem um rio!!! Sabe? Me apaixonei! Paixão arrasadora, avassaladora, de deixar no chão! Era tudo que eu sempre quis e nunca soube!
Eu sou piloto, não de profissão, mas de vocação, de amor, de tudo que é bom. E seeeempre amei ser. Só que depois da formatura... 7 meses embarcada, e uma semana em casa, mais quatro meses por aí, e dois em casa, e por ai vai... Fui para muitos lugares interessantes, Letônia, Tailândia, China, Canadá! Argentina e Uruguai algumas dezenas de vezes... e muitos portos do Brasil.

Fui indo assim, muito apaixonada, até descobrir o offshore! E aí, outra paixão! Não se vai para lugar algum, mas o trabalho é sensacional!!! As férias também não são nada mal. Eram 42 dias de trabalho, e 42 em casa, depois 35, ultimamente 28... Tudo de bom, não? Quem não iria querer? Ah, esqueci de contar!!! Neste meio tempo, no offshore, Casei! E meu marido, também embarca!!! Ha, ha, ha... vida de marítimo é assim, só outro marítimo aguenta! Bom, nesta minha ultima empresa, me convidaram para vir trabalhar em terra, no escritório. E eu pensei que novos desafios são sempre bons, não? De qualquer forma, se não gostasse, poderia sempre voltar para o mar! Maaaas Durante as negociações eis que não me surge a notícia do Samuel! E neste dia, me fiz Mãe. Renegociei as minhas funções em terra, e vim, com toda a coragem de alguém que começa do zero! Trabalho novo e Gravidez nova... não é para qualquer um não... E gente, olha que eu tive muita ajuda mesmo. Minha mãe se mudou para perto, Minha sogra também (e isso é bom!!!), Meu pai se desdobrou em 10, Meu marido dava um jeito de parecer que estava em casa mesmo quando embarcado ( a esta altura ja eram 14 x 14 dias...), e uma empresa cheia de gente legal, que me deu um super apoio. E então o Sam chegou!

Tudo de pernas para o ar, e eu, como ÓTIMA (ha,ha...) mãe que sou, nem pensei em mais nada por meses! Bom, agora vamos todos bem, Eu Sam, Maridão, vovós, vovôs... Todos na rotina de todo dia. Trabalho para mim, Creche para o Sam, Embarque para o Ricardo... Nada de mais, não? Só tem um probleminha... Vocês esqueceram a vocação? Pois é!!! Eu também não! Ainda morro de vontade de voltar para o mar, e trabalho TODOS os dias de frente para o porto... Volto para casa todo dia correndo, querendo muito ver meu Sam, apertar, brincar, saber como foi seu dia na creche (ah, sim, porque eu sou mãe de creche...), enfim, aproveitar o restinho que me cabe antes do soninho da noite... Mas com toda essa felicidade... Eu ainda sinto TANTA falta de embarcar, que não sei se algum dia vai passar! Sou feliz, não dá jeito, a cada sorriso, cada abraço, cada piscadinha... Mas ainda me aperta muito ver meus navios e pensar nunca mais... Mas que vida partida, essa, não?
Beijinho!”

Fernanda, muito obrigada por compartilhar essa história linda digna de Caldeirão do Huck! Se eu fosse o Luciano te dava um navio só pra ti com uma salinha pra Samuel ficar te esperando...hahaha. Mas como eu sou só a mãe do João que escreve um blog nos tempos “vagos”, te dei esse espaço pra compartilhar a sua história com outras mamães! Parabéns pelas suas escolhas e com certeza tudo o que decidires com amor, vai ser bem decidido!!!

E vocês mamães me mandem também suas histórias que eu posto aqui no blog!!!

Beijo beijo

Um comentário:

gravidez: milagre da vida disse...

O blog é ainda tão novo e cheio de histórias bacanas! Não desista!!! Beijos e boa sorte, Juliana.